Desamparo
























Digo-te que podes ficar de olhos fechados sôbre o meu peito,
porque uma ondulação maternal de onda eterna
te levará na exata direção do mundo humano.
Mas no equilíbrio do silêncio,
no tempo sem côr e sem número,
pergunta a mim mesmo o lábio do meu pensamento:
quem é que me leva a mim,
que peito nutre a duração desta presença,
que música embala a minha música que te embala,
a que oceano se prende e desprende
a onda da minha vida, em que estás como rosa ou barco...?

Cecília Meireles
In: Viagem' p.38

2 comentários:

Jenifer Carmo disse...

Que delícia! Chuvas de Cecília Meireles por aqui.

Tudo muito lindo ... doce, suave.

Parabéns!

REGGINA MOON disse...

Vim te fazer uma visita, simplesmente lindo seu espaço!!
Seu bom gosto orgulha e exalta mais ainda a nossa Poesia!
Beijos Selma...
Reggina Moon