Interlúdio





As palavras estão muito ditas
e o mundo muito pensado.
Fico ao teu lado.


Não me digas que há futuro
nem passado.
Deixa o presente — claro muro
sem coisas escritas.


Deixa o presente. Não fales,
Não me expliques o presente,
pois é tudo demasiado.


Em águas de eternamente,
o cometa dos meus males
afunda, desarvorado.


Fico ao teu lado.

Cecília Meireles

8 comentários:

Antonìo Manuel disse...

Selma:
Bom Dia!

Ter você como Amiga
È para mim uma grande Gratidão

Parabèns em tudo o que faz na vida

Obrigado por màis uns momentos Maravilhosos no seu Blog

Grande Abraço
Amigo Antònio Manuel

Cotovia disse...

Entre o luar e o crepúsculo, o sono e a lucidez, o silêncio do mundo e o barulho de ti, há uma voz muda que percorre a aridez do teu pensamento... Sentes?... É o Pio da Cotovia!


Um prazer repousar neste teu blog de elevada qualidade.

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”




Beijo azul

Fada do Mar Suave disse...

Selma

Passear pelo teu blog enche o coração de alegria. Bom gosto, harmonia e muita beleza que toca fundo na alma.
Parabéns pelo seu talento.
Fada do Mar Suave.

Dona Poesia disse...

Ah, que blog lindo. Uma festa para os olhos e para alma.Uma seleção de poemas magníficos, e as fotos então, um sonho. Adoro fotos antigas, como essas do seu blog. Voltarei sempre. A música então...
Parabéns.
E muito obrigada por ir ao meu blog.

Dona Poesia disse...

Olá Selma. Ontem eu conversei com o professor J, de matemática. Foi quando ele me disse o seu nome completo, só então eu liguei você à pessoa. Obrigada pela amizade.
Um abraço da amiga
Maria

POETICAMENTE FALANDO... disse...

Selma,

Se soubesses como me faz bem a alma vir aqui em seu Blog...tudo é muito divino.

Adoro-te!

Reggina Moon

O Profeta disse...

Para lá desta janela sincera
Mora a luz radiosa, inconstante
Esta Lira liberta uma breve melodia
Que a brisa carrega adiante

Passos amedrontados
Olhos abertos sem vida, sem fervor
Sons mais que mil e muitos
Máscara da ironia de Deus superior

Bom fim de semana


Mágico beijo