Baladas de El Rei



Para meus olhos, quando chorarem,
terem belezas mansas de brumas,
que na penumbra se evaporarem...

Para meus olhos, quando chorarem,
terem doçuras de auras e plumas...

E as noites mudas de desencanto
se constelarem, se iluminarem
como os astros mortos, que vêm no pranto...

As noites mudas de desencanto...
Para meus olhos, quando chorarem...

Para meus olhos, quando chorarem,
terem divinas solicitudes
pelos que mais se sacrificarem...

Para meus olhos, quando chorarem,
verterem flores sobre os paludes...

Para que os olhos dos pecadores
que os humilharem, que os maltratarem
tenham carinhos consoladores,

Se, em qualquer noite de ânsias e dores,
os olhos tristes dos pecadores
para os meus olhos se levantarem...

Cecília Meireles

7 comentários:

REGGINA MOON disse...

Selma,

Meus parabéns e eterna admiração por tudo o que fazes, as postagens são sempre maravilhosas e amo estar aqui sempre,

Beijos,

Reggina Moon

Rosemildo Sales Furtado disse...

Mais uma belíssima criação da grande Cecília Meireles.

Adorei, muito profundo. Parabéns pela escolha.

Abraços,

Furtado.

Juℓi Ribeiro disse...

Selma:

Belos versos de Cecília
Meireles.
Lindo blog!
Seu bom gosto e sensibilidade
se destacam em cada postagem.
Beijo.

Marianna disse...

felicitaciones es realmente bonita.
esta poesía está llena de sentimiento justificación por mi español

Martin disse...

Hello!
I like your blog. Why don't you use a widget to translate it? Ciao, Martin

REGGINA MOON disse...

Selma,

Vim aqui lhe visitar, como sempre, ler suas maravilhas e convidá-la a conhecer meu mais novo Blog, o caçula...rs

www.oportalpoesias.blogspot.com

Beijos!!!

Reggina Moon

Chá das Cinco disse...

Cecilia Meireles foi uma ótima escolha.
Li,gostei e fiquei.
Espero que você goste do meu Blog,te aguardo.
Um abraço
Gemária Sampaio