Se um pássaro cantar dentro da noite
extraviado,
pensa com ternura nessa vida aérea,
sem alfabeto nem calendário,
tão pura, tão pura,
entre flores e estrelas,
sem data de nascimento,
sem nítida família,
e sem noção da morte.
Como os meninos que as mães deixaram,
Abandonados
Longe, na calçada dos séculos,
à porta de um pai improvável
e que choraram sem socorro.


Cecilia Meireles
in"de Metal Rosicler"

Nenhum comentário: