Desenho






Fui morena e magrinha como qualquer polinésia,
e comia mamão, e mirava a flor da goiaba.
E as lagartixas me espiavam, entre os tijolos e as
trepadeiras, e as teias de aranha nas minhas árvores se
entrelaçavam.


Isso era num lugar de sol e nuvens brancas,
onde as rolas, à tarde, soluçavam mui saudosas. . .
O eco, burlão, de pedra em pedra ia saltando,
entre vastas mangueiras que choviam ruivas horas.


Os pavões caminhavam tão naturais por meu caminho,
e os pombos tão felizes se alimentavam pelas escadas,
que era desnecessário crescer, pensar, escrever poemas,
pois a vida completa e bela e terna ali já estava.


Com a chuva caia das grossas nuvens, perfumosa!
E o papagaio como ficava sonolento!
O relógio era festa de ouro; e os gatos enigmáticos
fechavam os olhos, quando queriam caçar o tempo.


Vinham morcegos, à noite, picar os sapotis maduros,
e os grandes cães ladravam como nas noites do Império.
Mariposas, jasmins, tinhorões, vaga-lumes
moravam nos jardins sussurantes e eternos.


E minha avó cantava e coisa. Cantava
canções de mar e de arvoredo, em língua antiga.
E eu sempre acreditei que havia música em seus dedos
e palavras de amor em minha roupa escritas.


Minha vida começa num vergel colorido,
por onde as noites eram só de luar e estrelas,
Levai-me aonde quiserdes! – aprendi com as primaveras
a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.


Cecília Meireles
In Mar Absoluto e Outros Poemas (1945)

6 comentários:

Úrsula Avner disse...

Olá Selma, prazer em conhecer seu blog tão bonito e que homenageia uma das maiores escritoras e poetisas brasileiras que tanto amo- Cecília Meireles. Muito obrigada por seu carinho e interesse em acompanhar o blog. Voltarei depois com mais tempo. Bjs.

Solange Maia disse...

Ah... Deus....
Que bom podermos nos deleitar com tão lindas palavras...
Amei.
Deixou meu final de semana mais bonito !

:)

Beijo,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

lili disse...

Úrsula

tenho selo para si...


LAGO


Lago largo lindo e límpido
Olho a água e vejo os peixes
Olho a água e vejo-a azul e transparente
Ao longe...a ponte...

Ponte lembrando a forma de uma mulher...
Ponte serena e esplêndida...
Com formas firmes e fortes...

E ao olhar:
...A água...
...O lago...
...A ponte...

Atravesso-a e consigo...
Sentir-te e abraçar-te!...


Lili Laranjo

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Selma! Passei para te desejar um bom domingo e uma ótima semana.

Ao postares Cecília, como sempre, fizeste uma excelente escolha. Parabéns!

Ah! Aguardo uma visita tua.

Abraços,

Furtado.

εïз εïз Doce Essencia εïз εïз disse...

Boa Tarde Selma

Vim conhece-la...e agradecer por ja morar em meu Jardim de Borboletas...agora e mais uma doce amiga que tenho.
Espero ver-te a sobrevoando ao jardim.

Cecilia Meireles e por si so...graça e ousadia.
Um lindo poema...bem escolhido e uma imagem que retrata bem o poema.

Uma doce semana.

Doces Beijos

Doce Essencia

Paolo disse...

Ciao
Selma
Piacere di Conoscerti
Parlo poco il portoghese, ma riesco a leggere e capire qualcosa.

Un saluto
da Paolo Falconi
di Roma